fbpx

Plano de Saúde

A contratação de um plano de saúde para empresas de pequeno e médio porte, pessoa jurídica e para empresas com MEI é possível, você sabia? E tudo dentro do seu orçamento!

Cada vez mais existem alternativas ao plano convencional no mercado. Para proteger a empresa e seus colaboradores, porém, é essencial ficar de olho no que é realmente eficiente. No fim das contas, há casos em que o que soa mais barato, pode sair mais caro. É por isso que é importante avaliar o seguro saúde oferecido por seguradoras convencionais e os planos mais modernos criados por instituições privadas.

O plano de saúde é um importante diferencial para a retenção de talentos

Por que contratar um seguro ou plano de saúde para sua empresa

A retenção de talentos em um empreendimento passa principalmente por suas condições de trabalho. Contar com um plano médico, mesmo sendo um negócio de menor porte, permite maior engajamento e produtividade. Convém dizer, porém, que um seguro saúde tende a ser a melhor opção para segurados e beneficiários.

O que acontece é que apenas operadoras garantem cobertura real para situações como internações, transplante, entre outros. O ideal é contratar seguro saúde, conhecido como plano de saúde de uma seguradora, pois ela é obrigada a pagar pelos procedimentos que você pode necessitar, e possui uma reserva de dinheiro própria pra isso. Outras empresas privadas, contudo, podem até ser uma alternativa para quem procura uma cobertura de baixo custo, porém, terá limitações que precisam ser devidamente avaliadas.

O que é preciso para contratar um plano de saúde

Diferente do plano de saúde individual, o plano de saúde PME — focado em empresas e profissionais autônomos  — depende de um CNPJ ativo. Seja no regime convencional ou como MEI, o contratante só precisa ter de duas a três pessoas na empresa para conseguir contratar o plano.

Além disso, é possível aderir ao plano de saúde com a opção de coparticipação. Dessa forma, o colaborador contribui com parte do valor, geralmente com desconto em folha. E o melhor é que é possível adicionar uma cobertura maior para quem quiser ou tiver condições de pagar por um plano mais robusto.

Os benefícios do plano de saúde para empresas passam tanto pelo cuidado à equipe que faz à empresa, quando pela certeza de estar bem assistido no caso de algum funcionário precisar de atendimento médico. Por meio de uma simulação de seguro, é possível encontrar uma opção acessível e eficiente para qualquer negócio!

Perguntas frequentes

Tire suas dúvidas através dos campos abaixo ou envie-nos uma mensagem.
  • Seguradora, Banco ou Operadoras de Planos de Saúde, qual a diferença?
    As Operadoras possuem hospitais próprios, sendo que em alguns casos eles compram participação dentro de um hospital, e otimizam os custos. Desta forma. a operadora consegue oferecer um custo benefício mais vantajoso para a empresa. As seguradoras e Bancos geralmente não possuem rede própria. Ou seja, eles conhecem menos os detalhes e a operação médica de fato.
  • Já tenho seguro de saúde familiar há muitos anos, posso migrar com redução de carência para um contrato através da minha MEI ou Pessoa jurídica?
     Sim! Com as novas leis, é possível realizar a redução da carência e economizar no valor mensal pago. As carências incidem em parto (300 dias) e lesões ou doenças preexistentes (24 meses), mas é importante avaliar a condição oferecida pelo seu corretor.
  • Não entendi como a co-participação funciona.
    A Coparticipação representa atualmente mais de 50% dos planos contratados e vigentes no Brasil. É uma forma de frear fraudes ou excesso de utilização dos planos, o que acaba encarecendo a conta pra todos os demais através do reajuste pela sinistralidade. A cada utilização do plano  —  como uma consulta — a fatura do mês seguinte vai discriminar a utilização do plano e o valor cobrado. Uma consulta vai custar 30% do valor pago ao prestador pela operadora/seguradora, limitado ao valor de 30 a 50 reais dependendo da categoria do plano de escolha. Nos planos mais completos, o limitador é na faixa de R$ 50.  
  • Como são os reajustes de um contrato Saúde PME?
    Os reajustes são realizados por mudança de faixa de idade dentro do quadro da empresa. Por exemplo, faixa de 19 a 23 anos e faixa de 24 a 28 anos, e assim por diante. O outro reajuste é realizado geralmente no começo do ano (depende da empresa escolhida), e é um cálculo feito pela sinistralidade de todas as empresas dentro da carteira da operadora ou seguradora, adicionando-se a esse valor a inflação ocorrida. Geralmente esta porcentagem varia de 5% a 20%, média de 12%.
  • Meu plano de saúde aumenta muito, como fazer pra que os reajustes sejam menores?
    Isso realmente pode acontecer e está dentro das atuais regras e leis da ANS. O que você pode considerar é mudar para um plano com Co-Participação, o que reduz de 20 a 30% o valor pago mensalmente. A Co-Participação vai cobrar 30% do valor dos procedimentos na fatura do mês seguinte. Porém, para não assustar os clientes, as empresas têm adotado limitadores de custos por utilização. Em muitos casos, mesmo a pessoa fazendo um uso grande em determinado mês, a diferença vale a pena. E o melhor é que os reajustes nos contratos de Saúde com Co-participação são menores, porque quem opta é quem usa o plano com mais sabedoria, sem uso excessivo e descontrolado.
  • Posso usar o reembolso do meu plano mesmo sendo com Co-Participação?
    Sim! Os mecanismos são independentes e na contratação você saberá quais os valores de reembolso para cada tipo de atendimento. A co-participação incidirá sobre os valores reembolsados neste caso, com os mesmos limitadores. Exemplo: Consulta particular fora da rede médica credenciada do plano:  (Premissas: Valor de reembolso de consultas: R$300) Valor pago ao Médico: R$ 350. Recibo enviado a operadora: R$350 reembolso do plano contratado: R$ 300. Co-Participação será de 30% * 300 = R$ 90, como está acima do limite, será cobrado o limite superior, no caso entre R$ 30 e 50.

Fale conosco